Os Comportamentos Essenciais do Líder

Como fechar a lacuna entre os resultados prometidos e os alcançados que os líderes buscam hoje nas empresas? O que faz exatamente um líder que está encarregado da tarefa de executar? Há quatro comportamentos essenciais que tornam o líder mais eficaz.

1.Conhecimento da

*Sua equipe

*Sua empresa

2.Autoconhecimento
3.Definição de Metas por Escrito
4.Ampliar as habilidades das pessoas através do Feedforward

Continue lendo

Anúncios

Qual é sua paixão?

Ao falar em paixão, quero referir-me àquela propensão sincera, àquela vibração genuína e profunda em relação a tudo que fazemos. É  a sensação de viver com total intensidade, experimentando a cada momento tudo o que o mundo oferece.

Em última análise, o que você vislumbra para o futuro tem tudo a ver com sua paixão. Com aquele impulso que faz com que você se levante mais cedo e que compromete seu sono à noite. Com aquilo que você considera tão importante que coloca no rol de suas prioridades, e por ele se dispõe a suportar os inevitáveis reveses e fazer os necessários sacrifícios.

Qual  é sua verdadeira paixão?

Continue lendo

Os papéis que representamos na vida

O mundo inteiro é um palco e todos os homens e todas as mulheres são apenas atores.

William Shakespeare

Durante todo o dia representamos os mais diversos tipos, tentando satisfazer as expectativas alheias. Mas nem sempre o fazemos de acordo com o aguardado.

Por exemplo, Maria vai receber alguns amigos para uma reunião como outra qualquer. Mesmo assim, Maria deseja que tudo saia perfeito. Cuida pessoalmente dos últimos detalhes, vê se as coisas estão em ordem e, ao ouvir o sinal da campainha, vai receber o primeiro convidado, já com um sorriso nos lábios. Ela sabe que a anfitriã da festa deve se comportar dessa maneira. E não pretende decepcionar ninguém.

O que Maria não percebe é que está apenas desempenhando um papel. O papel de dona-de-casa maravilhosa que todos esperam dela. E ela atende às expectativas, mesmo porque esse papel a satisfaz. Assim, comporta-se como uma verdadeira atriz, que no final do ato receberá os cumprimentos.

Mas não é apenas Maria que interpreta nessa noite. Seus amigos também vivem o papel de convidados. Afinal, está provado que representamos 24 horas por dia. Só os papéis é que variam, de acordo com a ocasião.

Por isso, muitos sociólogos e psicólogos já estabeleceram comparações entre o comportamento humano e uma peça de teatro. A única diferença é que os atores sabem que seus personagens são falsos, enquanto nós passamos a encarnar verdadeiramente nossos papéis. Continue lendo

A Inteligência Social e a Liderança

“A inteligência social se manifesta na creche, no parquinho, nos quartéis, nas fábricas e nas lojas, mas desafia as condições formais padronizadas dos laboratórios”, foi o que disse Edward Thorndike, psicólogo da Columbia University que propôs o conceito pela primeira em um artigo de 1920 publicado na Harper’s Nonthly Magazine. Thorndike observou que tal eficiência interpessoal era de importância vital para o sucesso em muitas áreas, sobretudo na área da liderança.

O que aprendemos ao longo da nossa caminhada é que não podemos separar a causa de uma emoção do mundo dos relacionamentos.

Clique na imagem para ampliar

Continue lendo

Líderes Urdidores

Todos os anos, milhares de empresas fracassam. Algumas fecharam suas portas sem alarde, ainda solventes, mas incapazes de realizar lucro suficiente para que o negócio valesse a pena. Isto é apenas parte da história, porque existe um outro tipo de fracasso, que é a incapacidade de obter completo êxito, tanto possível como desejável. Em outras palavras, a empresa que por pouco não alcança seu pleno potencial. E aí surge a pergunta: “Por que?”

Sem usar o simplismo, uma das respostas plausíveis é: As empresas fracassam porque os líderes titubeiam. E os líderes hesitam porque não urdiram um enredo que privilegie a releitura dos conceitos e desafios da liderança para garantir a perenidade.

A realidade das organizações muda, o ambiente de negócios se modifica, a sociedade se transforma. Transitar pelo novo respeitando o legado e tendo como alicerce práticas e comportamentos sólidos, é um desafio constante para as empresas, especialmente aquelas que nasceram há muitos anos, em contexto bem diferente do atual.

Definir os caminhos é essencial

Cada negócio tem seus fundamentos, que devem ser mantidos e respeitados, mas há aspectos da cultura organizacional que demandam a intervenção assertiva de líderes urdidores que tecem uma cultura e disseminam valores como a solidariedade, a amizade, o respeito, o amor e a confiança como fatores de humanização dos ambientes de trabalho. Continue lendo

Cizânia entre os Baby boomers, a Geração X e a Geração Y

É recorrente o assunto sobre como reter a geração Y. E os que tem mais dificuldades para lidar com esse novo perfil é a turma que nasceu na década de 50. Afinal são três décadas de diferença. Não é só o ano de nascimento que define sua geração. Cada faixa etária tem suas próprias questões financeiras, ambientais e globais. Isso caracteriza a personalidade e comportamento. Nos últimos 50 anos, vimos três gerações. Os baby boomers (1946 a 1964), a geração X (1965 a 1980) e a geração Y (1981 a 1995).

Qual a sua geração?

Continue lendo

Em 2012, Experimente e Assuma Riscos

Para realizar paixões e concretizar sonhos, é preciso ser heterodoxo. É preciso ser um dissidente. Todos os casos de sucessos pessoais que vemos ou ouvimos, falam da necessidade de assumir riscos com ideias ousadas. Nada de grande e de novo se consegue fazendo as coisas da forma como sempre se fez. É preciso experimentar novas estratégias, nunca dantes testadas. É preciso libertar-se da camisa-de-força das normas pétreas, e realizar coisas que julgamos impossíveis.

Nesse ano que começa, você tem de arriscar-se a sair dos limites que impôs a si mesmo. Para realizar coisas extraordinárias no seu departamento, na sua organização ou no seu negócio, é necessário ter uma grande disposição para experimentar e assumir riscos a partir de novas ideias. Para criar um clima em 2012 em que a norma prevalecente seja experimentar e assumir riscos, você como líder, deve pensar grande mas começar pequeno. Sonhe em atravessar esse imenso universo para procurar algum mundo novo, mas comece devagar, com algumas excursões curtas, para testar suas teorias e capacidades. Um velho provérbio africano aconselha: “Nunca meça a profundidade da água com ambos os pés”.

Novos desafios para 2012

Continue lendo