Não basta baixar custos. É preciso inovar.

As últimas décadas foram dedicadas, pelas empresas mundo afora, na busca pela excelência operacional. O corte de custos, o downsizing, os sistemas de gestão consagrados como o Seis Sigma ou os programas e metas de eficiência não estão bastando para destacar-se  da concorrência e conquistar mais clientes  ou encantar consumidores.

Para um dos maiores especialistas em inovação – o professor, consultor, escritor e palestrante internacional Rowan Gibson – não existe plano B: é inovar ou inovar. “O combustível de todo tipo de crescimento hoje no mundo corporativo é a inovação. Sem ela, não há crescimento sustentável a longo prazo”, afirma o professor.

Continue lendo

O Biossistema Da Inovação Exige Uma Liderança Inspiradora

Inovação significa mudança e mudança exige uma liderança inspiradora. A liderança está ligada ao processo de inovação, ao aporte de novas ideias, métodos ou soluções.

Pesquisas mostram que, nos dias de hoje, sete entre dez funcionários não se sentem envolvidos com seu trabalho, disse Dov Seidman, consultor especializado em construir empresas com princípios. Pior: 84% deles cumprem suas tarefas por medo ou coerção, 12% por motivação e apenas 4% por inspiração, que Seidman acredita ser o único modo de gerar uma autêntica cultura de inovação.

Para intervir em operações deficitárias, criar novas unidades de produção, desenvolver novos produtos ou serviços, incorporar novos procedimentos, reerguer operações ameaçadas de cancelamento ou liberar o espírito de criatividade sufocado por exigências burocráticas, precisamos de líderes inspiradores que façam coisas que nunca tinham sido feitas e descubram lugares nunca dantes descobertos. O trabalho do líder é mudar. E toda mudança exige que os líderes busquem ativamente formas de tornar as coisas melhores, crescer, inovar e melhorar.

Como buscar maneiras de inovar?

Continue lendo

Flexibilidade, uma competência emocional

Vemos a liderança como um fenômeno de como homens e mulheres guiam outras pessoas através da adversidade, da incerteza, da necessidade, dos transtornos, da transformação, da transição, da recuperação, dos novos começos e de outros significativos desafios.
Vemos também que a liderança é um estudo de pessoas que triunfam sobre formidáveis dificuldades, que tomam a iniciativa diante da inércia, que confrontam a ordem estabelecida, que mobilizam pessoas e instituições para enfrentar grandes resistências. É ainda o estudo de como homens e mulheres, em tempos de imobilismo e de acomodação, desenvolvem a flexibilidade para despertar todos para novas possibilidades.

Continue lendo

FEEDFORWARD, prospectando o futuro

Os seres humanos bem-sucedidos mantêm sua mente concentrada no que desejam da vida – e não no que eles não querem. No mundo de hoje, da alta velocidade e alta tecnologia, a observação de Shakespeare – “O que passou é um prólogo” – é especialmente apropriada. Tudo que fizemos no passado serve apenas como uma preparação para a próxima tarefa. E a próxima tarefa tem a ver com o futuro.

Quando visualizamos o futuro que desejamos para nós e para os outros, e quando pensamos seriamente no legado que queremos deixar, temos muito maior probabilidade de dar o primeiro passo nesse sentido.

Formar líderes exemplares, fortalecendo seus liderados.

Fortalecer os colaboradores é essencialmente um processo de transformar os liderados em líderes – de tornar as pessoas capazes de agir por sua própria iniciativa. Cria-se, assim, uma onda positiva, com o poder e a responsabilidade sendo transferidos a outros, e as pessoas agindo corretamente.

Acrescentamos que ser líder significa ser uma pessoa a serviço de outras, tendo como satisfação pessoal a satisfação dos companheiros, vendo no crescimento e progresso dos seus seguidores o seu próprio progresso e crescimento, e, no bem-estar de cada um, o seu próprio bem-estar. A Mileris busca: Formar líderes exemplares, fortalecendo seus liderados. Para tanto está lançando um seminário que vai tratar dessa nova ferramenta de gestão para promover o alinhamento das metas organizacionais e pessoais.

Continue lendo

Os Comportamentos Essenciais do Líder

Como fechar a lacuna entre os resultados prometidos e os alcançados que os líderes buscam hoje nas empresas? O que faz exatamente um líder que está encarregado da tarefa de executar? Há quatro comportamentos essenciais que tornam o líder mais eficaz.

1.Conhecimento da

*Sua equipe

*Sua empresa

2.Autoconhecimento
3.Definição de Metas por Escrito
4.Ampliar as habilidades das pessoas através do Feedforward

Continue lendo

Os papéis que representamos na vida

O mundo inteiro é um palco e todos os homens e todas as mulheres são apenas atores.

William Shakespeare

Durante todo o dia representamos os mais diversos tipos, tentando satisfazer as expectativas alheias. Mas nem sempre o fazemos de acordo com o aguardado.

Por exemplo, Maria vai receber alguns amigos para uma reunião como outra qualquer. Mesmo assim, Maria deseja que tudo saia perfeito. Cuida pessoalmente dos últimos detalhes, vê se as coisas estão em ordem e, ao ouvir o sinal da campainha, vai receber o primeiro convidado, já com um sorriso nos lábios. Ela sabe que a anfitriã da festa deve se comportar dessa maneira. E não pretende decepcionar ninguém.

O que Maria não percebe é que está apenas desempenhando um papel. O papel de dona-de-casa maravilhosa que todos esperam dela. E ela atende às expectativas, mesmo porque esse papel a satisfaz. Assim, comporta-se como uma verdadeira atriz, que no final do ato receberá os cumprimentos.

Mas não é apenas Maria que interpreta nessa noite. Seus amigos também vivem o papel de convidados. Afinal, está provado que representamos 24 horas por dia. Só os papéis é que variam, de acordo com a ocasião.

Por isso, muitos sociólogos e psicólogos já estabeleceram comparações entre o comportamento humano e uma peça de teatro. A única diferença é que os atores sabem que seus personagens são falsos, enquanto nós passamos a encarnar verdadeiramente nossos papéis. Continue lendo

A Inteligência Social e a Liderança

“A inteligência social se manifesta na creche, no parquinho, nos quartéis, nas fábricas e nas lojas, mas desafia as condições formais padronizadas dos laboratórios”, foi o que disse Edward Thorndike, psicólogo da Columbia University que propôs o conceito pela primeira em um artigo de 1920 publicado na Harper’s Nonthly Magazine. Thorndike observou que tal eficiência interpessoal era de importância vital para o sucesso em muitas áreas, sobretudo na área da liderança.

O que aprendemos ao longo da nossa caminhada é que não podemos separar a causa de uma emoção do mundo dos relacionamentos.

Clique na imagem para ampliar

Continue lendo